Sind-Saúde/MG comparece à SEPLAG para questionar más condições de trabalho da Cidade Administrativa e exigir mudanças

Qua, 05 de Janeiro de 2011 00:00 0 COMMENTS
Imprimir


Após constatação da precariedade das condições de trabalho da Cidade Administrativa e ampla consulta aos trabalhadores no local, representantes do Sind-Saúde/MG compareceram à Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de Minas Gerais (SEPLAG) nesta terça feira (04.01) para exigir que o governo melhore as condições de trabalho dos servidores da Secretaria de Estado da Saúde (SES) lotados na Cidade Administrativa. Foi entregue aos representantes da SEPLAG, inclusive à secretária Renata Vilhena, um documento contendo críticas e sugestões sobre vários aspectos problemáticos da estrutura do local. Os presentes à reunião se comprometeram a estudar cuidadosamente cada item indicado e darão as respostas em uma próxima reunião, a ser realizada na primeira quinzena de fevereiro.

Clique aqui para acessar na íntegra o documento do Sind-Saúde/MG entregue à SEPLAG


Os diretores do Sind-Saúde/MG, Renato Barros, Reginaldo Thomáz e Wânia Regina e a servidora da SES e filiada do Sindicato, Carla Anunciata se reuniram com a coordenadora da Intendência da Cidade Administrativa, Kênnya Kreppel e o assessor Ricardo Martins e os apresentaram os principais questionamentos dos servidores da SES que já estão trabalhando no local – questionamentos, aliás, que também servem para servidores de outras secretarias. A Intendência, reestabelecida pela lei delegada 179 de 1º de janeiro de 2011, subordina-se à Câmara de Planejamento, Gestão e Finanças e passa a ser o órgão responsável pela resolução das questões relativas aos serviços e às condições de trabalho da Cidade Administrativa.


Os representantes do governo admitiram que o local ainda passa por um período de transição e vários problemas estão de fato ocorrendo, sobretudo no prédio Minas, onde se situa a SES e a ocupação tem sido efetivada posteriormente aos outros prédios. Segundo Kênnya e Ricardo alguns pontos relatados já estão sendo solucionados, como melhoria da estrutura dos pontos de ônibus (inclusive com a inserção de um ponto no prédio Minas), resolução permanente dos constantes entupimentos dos banheiros, facilitação para aqueles que pegam ônibus na rodovia MG10, melhoria na sinalização da recepção dos prédios, instalação de agência de Correios e Casa Lotérica e instalação de caixas eletrônicos do Banco do Brasil no prédio Minas. Já outros questionamentos, como universalização da redução da jornada de trabalho para 6 horas diárias, construção de estrutura de creche dentro da Cidade Administrativa, instalação de mais bebedouros e oferecimento de mais e melhores opções de refeição estão ainda sem projeto para execução.
Os representantes do Sind-Saúde/MG acordaram com a Intendência um prazo de cerca de um mês para que esta avalie as críticas e sugestões do documento e dê, na primeira quinzena de fevereiro, respostas ou direcionamentos às demandas. 

O Sind-Saúde/MG, consciente de que os problemas relatados pelos servidores da SES relacionam-se diretamente com a saúde do trabalhador, estará firme na luta para que sejam estabelecidas as melhores condições de trabalho na Cidade Administrativa e se coloca à disposição para receber as reivindicações da categoria para inseri-las nas exigências a serem cobradas do governo. As críticas e sugestões à estrutura do local podem ser enviadas para o email ssaude@sindsaudemg.org.br


ssaude@sindsaudemg.org.br