Mobilização mostra força na Funed

Qua, 07 de Fevereiro de 2018 20:48 0 COMMENTS
Imprimir

Paralisação pressiona avanços nas discussões e trabalhadores decidem pela suspensão da greve

07 Funed assembleia

A adesão de mais de 200 trabalhadores da Funed foi suficiente para pressionar o governo a avançar nas pautas dos trabalhadores. Em uma reunião tensa com o representante da SEPLAG, após muita discussão, alguns pontos avançaram. Vejam os pontos debatidos durante a reunião:

07 Funed reunião

Insalubridade - Na questão dos cortes de insalubridade que estavam iminência de serem publicados sem avaliação do laudo pericial do sindicato, estão sendo avaliados “caso a caso” pela SEPLAG e permanecerá como está atualmente até finalização da análise dos laudos e nova discussão com o sindicato.

Redução da Jornada de trabalho - Em relação à redução da jornada de trabalho, o governo se mostrou intransigente afirmando a ilegalidade do acordo. Já o sindicato garante que não há ilegalidade, pois inclusive outros órgãos praticam a jornada ininterrupta e que o acordo foi assinado e não cumprido pelo governo. Essa situação coloca os trabalhadores na situação de aplicar na greve a redução da jornada de trabalho como forma de pressionar a publicação de instrumento legal que normatize a jornada reduzida como foi feito pelos servidores na última segunda e terça.

Atrasos de pagamento - O pagamento de salário e auxílios em dia passou por uma extensa discussão sobre a atual situação econômica do estado, que se encontra no limite da LRF, tendo dificuldades de pagamento de fornecedores e pessoal. O governo se comprometeu a discutir alguma autonomia financeira para a instituição viabilizar suas contas, inclusive pagamentos do vale-alimentação e auxílio-creche em dia.

Auxílio e Vale-Transporte – Em relação ao desconto de 6% referente ao vale-transporte a SEPLAG afirmou que acredita que a Funed tem autonomia para discutir o fim do desconto, mas que há uma discussão no governo de pagamento em dinheiro conforme o valor necessário para deslocamento por transporte público.

Concurso Público – Em relação às nomeações do último concurso que tem validade até junho deste ano, a SEPLAG explicou que apesar das dificuldades financeiras, que as substituições por aposentadoria, morte ou exonerações podem ser feitas e solicitou a lista de vagas e o encaminhamento para a COF.

Adicional de desempenho – O representante da SEPLAG afirmou que concorda com o pagamento do ADE no mês posterior ao da avaliação de desempenho e se comprometeu a discutir a pauta no governo.

GIEFS – Em relação à GIEFS ficou acordado que o sindicato vai apresentar a proposta aprovada pelos trabalhadores por consenso em assembleia, e que a presidência se compromete em definir a partir da discussão, junto com a SEPLAG as novas formas de pagamento e distribuição da gratificação.

Auxílio-Alimentação - O governo afirma que essa discussão será feita em nível estadual e que há uma perspectiva de reajuste geral do valor para de 25 a 30 reais em abril se a situação financeira do Estado melhorar.

Após a extensa discussão em que os trabalhadores ficaram em vigília no hall da presidência, em assembleia os trabalhadores discutiram ponto a ponto, e chegaram à conclusão que existem várias possibilidades de avanço, mas que concretamente ainda é muito pouco para dar fim ao movimento paredista. Portanto, os trabalhadores decidiram que irão suspender a greve inclusive pelo recesso de carnaval, mas também pelo compromisso com a questão da febre amarela, e retomar as discussões na semana posterior, com possibilidade de retomada da greve por tempo indeterminado em meados de março. 

07 Funed 01

07 Funed 02

07 Funed 03

07 Funed 04